Home / Capa / Reserva Pirarrã – Dona Alda pode ter sido sequestrada e assassinada pelos índios

Reserva Pirarrã – Dona Alda pode ter sido sequestrada e assassinada pelos índios

Depois de 06 dias de angústia, incerteza, suspeita e esperança, pode ter chegado ao fim as buscas por Dona Alda de 41 anos que estava desaparecida na Reserva Pirarrã no rio Marmelo, as primeiras informações chegadas a nossa redação são as piores possíveis, ou seja, pode ser verdadeiros a confirmação dos crimes de sequestro e assassinato de Dona Alda que estava desaparecida desde a noite de quinta-feira (29) do ano passado.

Nossa redação que relatou o crime desde o último dia de 2016 motivado pela denúncia por parte dos parentes da vítima, lamenta mais uma vez o ocorrido, que de forma semelhante a chacina ocorrida em dezembro de 2013 na Reserva Tenharim, a demora na apuração dos fatos, e na omissão da FUNAI de Humaitá em resolver as questões indígenas, trouxeram novamente um resultado ruim, e o que é pior, mais uma morte que poderia ter sido evitado caso tivessem celeridade nas questões semelhantes como a de Dona Alda.

Os índios Pirarrãs que normalmente nunca ofereceram perigo a ninguém, terão uma mancha de sangue em nossa história, ao assassinarem uma mãe de 14 filhos, que certamente pela atitude que teve em retornar até os índios para levar-lhes tabaco, após negar-lhes mantimentos fiado, demonstrou ser solidaria a dificuldade pela qual a etnia local passava sem alimento e atenção da FUNAI de Humaitá. Era muito fácil penalizar os índios que não falavam nossa língua portuguesa, pela inocência, e falta de conhecimento sempre foi condenada a receber o mínimo possível, ao contrário dos Parintintins e Tenharins que sempre estiveram anos luzes a frente da etnia Pirarrã.

No início da tarde desta terça-feira uma força tarefa de policiais militares e soldados do exército se deslocaram ao Distrito de Auxiliadora para tentar resgatar Dona Alda ou pelo menos encontrar o corpo da vítima. O delegado de polícia civil Teotônio Rego está liderando a equipe de policiais militares no local. Nossa redação dá créditos ao esforço do delegado Teotônio em proceder as buscas desde o dia de sábado quando tomou conhecimento do caso, procurando de todas as formas solucionar o deslocamento da força policial até o local supracitado.

A confirmação do assassinato ainda não é oficial, a possibilidade de Dona Alda ter sido assassinada pelos índios Pirrrãs deverá ser confirmada com o retorno da equipe de policiais e soldados militares que foram até o possível local do crime. Nossa redação aguarda mais informações a qualquer momento.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

UA-82222721-1