Home / Amazonas / Morre aos 81 anos o ventríloquo Oscarino Varjão, o criador do Peteleco

Morre aos 81 anos o ventríloquo Oscarino Varjão, o criador do Peteleco

15/04/2018 às 22:17 – Atualizado em 15/04/2018 Rafael Seixas
Manaus (AM)
Oscarino Farias Varjão estava internado desde a última sexta-feira (13) no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto. Mais cedo, familiares estavam pedindo oração em prol da melhora do artista

O ventríloquo Oscarino Farias Varjão, 81 anos, veio a óbito na noite deste domingo (15) após uma nova parada cardiorrespiratória. A informação é da Secretaria de Saúde do Estado do Amazonas (Susam).

Na manhã de hoje, o criador do boneco Peteleco, Patrimônio Cultural e Imaterial do Amazonas, teve uma parada cardíaca e estava internado no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, na Zona Centro-Sul de Manaus.

A filha do artista, Carla Tatiana, 32, informou que ele estava internado no hospital desde a última sexta-feira (13) em decorrência de um câncer de estômago. Ainda muito emocionada, ela disse que seu pai sempre foi muito brincalhão, amava seus netos e bisnetos.

“É difícil falar alguma coisa, mas nós filhos e toda família vamos sentir muita saudade dele. Sempre ficará guardado em nosso coração”, declarou.

Oscarino Varjão deixa esposa e dez filhos. O local do velório e do sepultamento ainda não foram divulgados.

Pedidos de oração

Mais cedo, Rafael Rodrigo Varjão, também filho do ventríloquo, havia pedido orações para o pai em uma postagem na sua página no Facebook. “O estado dele é muito grave e delicado. Neste exato momento ele se encontra na sala de emergência e está entubado (…) Peço a todos que rezem pelo meu pai. Sei que tudo em nossas vidas está nas mãos de Deus. Mas também sei que (ele) é um homem muito forte e vai passar por essa mas uma vez”, pediu.

Hospital 28 de Agosto

A direção do Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto informa que o ventríloquo deu entrada na unidade no último dia 13, em estado grave, com histórico de colelitiase, evoluindo para febre e vômitos em casa há sete dias, conforme relato de acompanhante.

Desde que deu entrada, fez várias gasometrias, foram coletados exames laboratoriais, realizados exames de tomografia de abdômen total, eletrocardiograma e, conforme avaliação médica, seguiu internado com diagnóstico de colelitíase, abcesso hepático, acidente vascular encefálico e hipertensão arterial.

Fonte: acritica.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *