Eles arrecadaram mais de R$ 8 mil, o dobro da meta, e receberam ajuda de empresas locais e até de outros estados

Jovens conseguem patrocínio e doações para representar o AM na Olimpíada de Robótica

Os estudantes amazonenses Felipe Fontenele, 17, e Miguel Gutierrez, 18, conseguiram arrecadar as verbas necessárias, e até ultrapassaram a meta, para custear a viagem deles para a cidade de Recife, onde representarão o Amazonas na final da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), que inicia neste domingo (9) e vai até quarta-feira, 12 de outubro.

Classificados em 1º lugar na fase regional do campeonato, os dois estavam sem dinheiro para pagar passagem aérea e hospedagem e corriam o risco de ficar de fora da competição. Com a divulgação da campanha de financiamento coletivo em reportagem do Portal A Crítica, eles alcançaram R$ 8.645. A meta era de R$ 4 mil.

Segundo Miguel, várias pessoas, tanto físicas quanto empresas do Amazonas e de outros estados brasileiros, procuraram os rapazes oferecendo patrocínio. “Nós aceitamos, pois só com o dinheiro da Vakinha não iria dar”, disse o estudante antes de saber que a meta de arrecadação dobrou. “Eu não sabia disso! A última vez que vi no site estava em R$ 4,5 mil”, complementou surpreso.

No site, um dos mais de 70 comentários de quem os ajudou dizia: “meninos, vocês são incríveis e merecedores. Tive o prazer de ter ouvido em pessoa toda a trajetória de vocês. Já estive em situações parecida antes e sei como é”, escreveu Carlla Vicna. “Boa sorte! Representem bem o Amazonas”, complementava Felipe Santos.

Outros doadores também reclamaram da falta de incentivo à ciência. “No Brasil fazer ciência é muito difícil e quase que inviável, mas vocês estão superando essas adversidades e mostrando que vale muito a pena acreditar nos nossos sonhos e trabalhar duro para atingir nossos objetivos”, disse Darlisson Marinho.

A viagem

O estudante Miguel Gutierrez conversou com a reportagem por telefone enquanto aguardava no aeroporto de Fortaleza (CE) para embarcar com destino a Recife. Enquanto isso, Felipe encontrava-se no aeroporto de Brasília (DF), acompanhado do orientador da Fundação Matias Machline para seguir para a capital pernambucana.

“Até agora está ocorrendo tudo certo. Estamos nos aeroportos e iremos nos encontrar por volta das 18h de hoje. Compramos as passagens por volta das 19h de ontem e conseguimos os vôos para às 2h e 3h de hoje”, explicou Miguel.

“No domingo iremos fazer o registro na olimpíada e o treino, pois a coordenação do evento libera. Iremos conhecer as outras equipes e a competição inicia na segunda-feira. Cada dia será uma rodada. Na quarta-feira será a última com os dez melhores. Se depender de nós, levaremos o Amazonas para o pódio”, disse Gutierrez.

Esta é a segunda vez que os dois estudantes competem juntos na Olimpíada Brasileira de Robótica. Ano passado, na edição de 2015, eles conseguiram a medalha de prata na fase estadual, no Amazonas, e ficaram na 11ª posição na etapa nacional, a melhor colocação já alcançada pelo Estado. “O nosso robô virou a nossa vida”, disse Miguel.

Planos

Segundo Miguel, se a dupla ganhar a Olimpíada, eles serão classificados para a fase internacional, que deve ocorrer no Japão, em 2017. O dinheiro que sobrar da arrecadação online, a dupla irá guardar para investir em kits para montar o robô. “Iremos comprar novos componentes, pois o que usamos é da instituição. Vamos investir em novos projetos”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *