Encerramento do Outubro Rosa reúne duas mil pessoas na Ponta Negra

O movimento mundial Outubro Rosa, que levou, ao longo do mês, informações sobre a saúde da mulher, além de ações de prevenção à população feminina, foi encerrado na noite da última quarta-feira, 25, com a tradicional ‘Caminhada das Vitoriosas, no Complexo Turístico da Ponta Negra, na zona Oeste de Manaus. Cerca de duas mil pessoas participaram do evento, que foi organizado pelas ONGs Centro de Integração Amigas da Mama (Ciam) e Rede Feminina de Combate ao Câncer, com o apoio da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade da Secretaria Estadual de Saúde (Susam) e da Prefeitura de Manaus.

Na ocasião, as mulheres participaram de aulas de zumba com voluntários das academias Tonus Coachi Club e Evolution, e receberam materiais educativos, com informações sobre prevenção e fatores de risco dos cânceres de mama e colo uterino, os mais incidentes entre as amazonenses. A presidente do Ciam, Joana Masulo, 62, sorteou exames de mamografias doados por instituições privadas parceiras.

 

“Lembramos que o Outubro Rosa foi fortalecido como movimento no Amazonas em 2008. Antes disso, as ações eram pontuais. Hoje, praticamente todos os municípios do Estado aderiram à causa, o que tem nos ajudado no processo de sensibilização das mulheres sobre a importância do autoexame das mamas e dos exames periódicos, como a mamografia e a ultrassonografia mamária, dependendo da idade. Só assim a doença poderá ser diagnosticada na sua forma precoce, o que aumenta em até 90% as chances de sucesso no tratamento”, destacou.

 

Masulo também comentou que há cerca de 20 anos enfrentou a doença. À época, mesmo em estágio inicial, precisou ser submetida a uma mastectomia radical (retirada total de uma das mamas). “Hoje, com o advento das novas tecnologias, as terapias evoluíram muito. É importante destacar que, quanto mais cedo o câncer de mama for descoberto, menos invasivo será o tratamento, com chances, inclusive, de cirurgias preservadoras, que retiram apenas o tumor com uma margem de segurança, ajudando a manter a mama da mulher”.

O gerente do Serviço de Mastologia da FCecon, Gerson Mourão, frisou a importância do trabalho conjunto envolvendo ONGs de apoio à causa câncer, Governo do Estado e Prefeituras. “Assim, um número maior de pessoas terá acesso às informações e aos exames e consultas de rastreio”. Mourão explicou que, recentemente, a FCecon, considerada referência em cancerologia na Amazônia Ocidental, reformulou seu protocolo de atendimento para portadoras de câncer de mama.“Vamos começar a liberar pacientes que estão há 10 anos em acompanhamento, porque elas já são consideradas curadas do câncer. Com isso, permitiremos que pacientes com diagnóstico tenham acesso mais rápido à re de, otimizado esse processo e aumentando a oferta de vagas”, explicou. O principal objetivo da medida é a redução da mortalidade pela doença.

Outubro Rosa – A campanha Outubro Rosa acontece há 13 anos no Amazonas. O movimento foi iniciado nos Estados Unidos, na década de 90, com o propósito de sensibilizar a população feminina sobre a importância dos exames que podem diagnosticar precocemente o câncer de mama, o de maior incidência no mundo e o que mais mata. No Amazonas, por ocasião do alto índice de colo uterino, esse tipo da doença foi incorporado ao tema. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), subordinado ao Ministério da Saúde, o Estado deve registrar, em 2017, 1,2 mil casos dos dois tipos de câncer, juntos.

FOTOS: AGUILAR ABECASSIS/SECOM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *