Home / Capa / BORBA – Suspeito de ter assassinado jovem de 14 anos, é linchado e queimado por população enfurecida

BORBA – Suspeito de ter assassinado jovem de 14 anos, é linchado e queimado por população enfurecida

Gabriel Lima Cardoso, de 18 anos, foi linchado no início da noite deste domingo no município de Borba, a 151km de Manaus. Ele estava preso, suspeito de matar, no último dia 4, uma adolescente de 14 anos com 16 facadas. 

O linchamento de Gabriel aconteceu em via pública no município, depois que dezenas de pessoas invadiram o quartel da Polícia Militar do município, onde ele estava preso, e o tiraram de lá. De acordo com o secretário de Segurança do Estado, coronel Anésio Paiva,alguns policiais chegaram a ser feridos pela população na invasão ao quartel. “Como o crime causou muita comoção na cidade, levamos o preso para o quartel por motivos de segurança, mas as pessoas invadiram o local. Era muita gente”, afirmou o coronel.

O assassinato trouxe um alerta ao sistema de segurança pública no Amazonas. O promotor Leonardo Tupinambá disse que a insegurança e a falta de estrutura impediram os policiais de resgardar a vida do acusado.

O promotor disse, ainda que quantidade de policiais no município, tanto civis quanto militares, é insuficiente, o que  acabou criando um cenário favorável para que a barbárie fosse possível. Sem policiais suficientes, a população se sentiu livre para agir sem temer qualquer represália. “Aconteceu em Borba mas poderia ter ocorrido em qualquer um dos municípios do interior, pois há um número muito reduzido de policiais”, afirmou ele, ressaltando que em Borba não há sequer um delegado e que não há viaturas para a Polícia Civil.

De acordo com ele, o Ministério Público vai auxiliar nas investigações a serem feitas a partir desta segunda para identificar os culpados pelos diversos crimes ocorridos neste domingo, que vão do homicídio ao dano ao patrimônio público. “A resposta é rápida quando há esse tipo de acontecimento. Vai ser todo mundo identificado, porque há muitos vídeos, mas depois que isso passar a situação não pode ficar da mesma maneira”, alertou.

Ele criticou ainda a atitude da população, que cometeu um crime com as próprias mãos e não permitiu a apuração completa do caso. “Até onde se sabe ele era suspeito do crime, mas agora não teremos bem como saber se ele de fato era culpado ou não”.

O governo do Amazonas está perdendo o controle da segurança pública na capital e agora o interior demonstra uma fraqueza ainda maior, com a deficiência quase generalizada da falta de estrutura, de reforço policiais e melhores condições de trabalho, aliados a falta de aumento salarial que somente agora no apagar das luzes, parcelaram os acréscimos a que a categoria tem direito. Está se tornando comum criminosos atirarem nos policiais, expondo a vida dos policiais civis e militares, a troca de tiros entre polícia e criminoso que ocorreu no município de Apuí é um bom exemplo disso. Até quando o cáos e a omissão vão prevalecer no estado?

One comment

  1. Daqui pra frente a população tem que agir dessa forma sim, outro assassino vai pensar duas vezes antes de cometer qualquer crime na cidade, hoje o assassino mata, depois de 24 horas se apresenta com um advogado e sai pela porta da frente da delegacia, lascado (a) é quem morre, se a população brasileira agisse dessa forma, o brasil seria bom de mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *