Home / Capa / Acabou o amor, paciente entrou na justiça em busca de remédios

Acabou o amor, paciente entrou na justiça em busca de remédios

No governo que se prega o amor, paciente tem que ir à Justiça para conseguir medicação e tratamento – Veja Documentos

 

O governador Amazonino Mendes, diz que em apenas três meses de governo conseguiu a proeza de reformar unidades de saúde em Manaus e no interior do estado, dotar a rede pública de saúde com equipamentos de alta resolução e prega que tudo é por “amor à causa pública”, mas esse amor, o jovem de apenas 18 anos, diagnosticado com doença de crohn (cid k50.0), doença inflamatória intestinal severa, desconhece.

Para obter a medicação, o jovem teve que recorrer a Defensoria Especializada na Promoção e Defesa dos Direitos Relacionados à Saúde, onde dia 3 de outubro do ano passado, 24 horas antes de Amazonino Mendes, assumir o governo recorreu à Justiça, através do defensor público Everton Saraff Nascimento que ingressou com uma ação de obrigação de fazer com pedido de tutela de urgência antecipada.
No dia 9 de novembro, a juíza Etelvina Lobo Braga, da 3ª Vara da Fazenda Pública Estadual, deferiu a liminar e determinou que o estado fornecesse a medicação sob pena de multa diária de R$ 5 mil, até o limite de 30 dias, a ser revertida em favor da parte autora e, caso não haja o cumprimento, dentro do prazo determinado, que fosse realizado arresto eletrônico no valor de R$ 50 mil, referente ao valor da primeira etapa do tratamento.

Com a liminar nas mãos, o jovem e o defensor público Everton Saraff, imaginaram que tudo estava resolvido e a medicação tão necessitada estaria nas mãos do paciente.

Mas, o governo do homem que prega o “amor à causa pública”, Amazonino Mendes, não atendeu a medida judicial. Para tentar conseguir fazer com que a medicação fosse entregue ao jovem, o defensor Arlindo Gonçalves dos Santos Neto, no dia 29 do mês passado comunicou a juíza de que até o momento não houve cumprimento da determinação judicial e muito mesmo a informação da Susam acerca da aquisição do medicamento.

Em seu pedido de providências o defensor diz que em razão da contínua inércia do estado em cumprir com a determinação judicial e considerando o grave estado de saúde do paciente, que atualmente encontra-se internado e está sendo submetido a doses de morfina em virtude das dores que sente e o avanço de sua doença rara, reiterou o pedido de bloqueio de verbas públicas no montante de R$ 50 mil para custear a primeira fase de tratamento do paciente.
Para um governo que prega o “amor à causa pública” um amazonense ter que ir a Justiça para conseguir seu tratamento é vexatório e humilhante, e o pior que mesmo com a ordem judicial o Estado não obedece à justiça! O que se espera ? Que o paciente morra?
Onde está o “amor à causa publica”?

Download [488.40 KB]

FATO AMAZÔNICO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *